segunda-feira, 11 de junho de 2012

Saiba como foi a Parada Gay de São Paulo

Loading


Bee! Aconteceu no último domingo, 10 de junho, a 16ª edição da Parada Gay de São Paulo que teve como tema “Homofobia tem cura: educação e criminalização!”. Uma das mais importantes do mundo! Tradicionalmente realizada na Avenida Paulista, a concentração foi em frente ao Masp e os desfiles começaram por volta das 13h.  Ao todo, foram 14 trios e 3,5 Km de percuso, com entrada na rua da Consolação té a Praça Roosevelt, onde ocorreu a dispersão.

Dentre as personalidades presentes, destaca-se a o cantor latino e ex-RBD, Christian Chávez, e os políticos Gilberto Kassab, prefeito de SP, a senadora Marta Suplicy, o deputado federal Jean Wyllys – que também participaram de uma coletiva na manhã de domingo – e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Aliás, a participação do governadorcatólico foi tema da coluna deGilberto Dimenstein na Folha.com. Também compareceram ao evento três candidatos à prefeitura de São Paulo: Carlos Giannazi (PSOL), Celso Russomano (PRB) e Soninha Francine (PPS), que é ex-VJ da MTV.

Público

Os organizadores do evento dizem que foram cerca de 3,5 milhões de pessoas. Entretanto, pesquisa feita pelo Datafolha, informou que foram “apenas” 270 mil. Neste ano, a Polícia Militar e a APOGLBT (Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo) informou que não faria estimativa do público.  Entretanto, o presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo, Fernando Quaresma, contestou os números do Datafolha: “Impossível”, declarou, informado que tal quantitativo correspondia ao público da Parada em 2002 e 2003.


EM TEMPO (via O Tempo On Line): no sábado, 9 de junho, um grupo de mulheres que defende o direito da escolha de se relacionar com pessoas do mesmo sexo promoveu um ato com o objetivo de tornar a causa delas mais visível à sociedade. A manifestação ocorreu na tarde deste sábado, na Praça Oswaldo Cruz, no bairro do Paraíso de onde o grupo seguiu em passeata pela Avenida Paulista, ocupando uma das pistas de rolamento. Pelos cálculos de Balades, a expectativa era aqui estivesse cerca de 3 mil pessoas, mas na contagem da Polícia Militar, o número foi bem menor, em torno de 600. Durante a manifestação, a pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Regina Faccini, informou que em levantamentos que fez nas edições da Parada Gay nos anos de 2005, 2006 e 2009 identificou que entre 15% e 18% dos entrevistados já tinham sofrido algum tipo de violência por serem gays.

Imagem: Joel Silva/Folhapress

Com informações de Folha.com, G1 e Mix Brasil