sábado, 2 de junho de 2012

Leia entrevista excluZiva com Gaby Amarantos

Loading

 People! Em sua última edição ,o Conexão Vivo trouxe a Belo Horizonte arainha do tecno- brega, Gaby Amarantos. Mais conhecida há meses atrás como a “Beyoncé do Pará”. Nascida no bairro de Jurunas, em Belém, fato que aliás faz questão de ressaltar em muitas entrevistas e durante as falas do show,  a nova revelação da música brasileira lança seu primeiro CD , “treme”, e quebra algumas as barreiras e muitos preconceitos.

Abrindo o evento após uma apresentação calma do bakanudo Lise + Barulhista, foi Amarantos  subir no palco para fazer todos abandonarem suas cadeiras – já que a apresentação dela aconteceu no grande teatro do Palácios das Artes - e acompanhar  os movimento ritmados com a batida tecno. No repertório o web hit “Xirley” e “Ex Mai Love”, tema de abertura da novela “Cheias de Charme”, fizeram muito barulho entre a diversidade, composta de hipsters e patricinhas, presentes entre o público que não descansou. Outro ponto forte foi a participação de Fernanda Takai, que entrou em cena para reproduzir a faixa “Primenta com Sal”, faixa gravada para o álbum de estreia.
 
Gaby nos recebeu para um entrevista e com a imagem da logo do MuZa em mãos pediu ao assistente pra tirar uma com seu celular, junto de um sonoro “uauuuuu”, quando soube que se tratava de um portal GLS. Confira o bate-papo:

Como foi cantar em BH para este grande público no Palácio das Arte?

Pra mim foi ótimo, dessa vez eu realmente me “senti chegando”, o carinho das pessoas cantando minhas músicas. Eu gosto dessa coisa de levar minha cultura para outros lugares, levar o som da periferia para pessoas que de repente, nunca conheceriam o som, e que ouvem e saem tremendo e dançando. É quebrar o preconceito, abrir a cabeça e acabar com essa segregação musical”

Como você vê a atração do público GLS  pelo seu trabalho?

Eu tenho um carinho grande pelo público gay. Eu, na verdade, não gosto muito dessa coisa de público gay e público hetero, pra mim é um público só. Eu acho que por isso as pessoas se identificam e eu acabo atingindo do popular ao formador, não tem diferença.  Pra mim as pessoas são iguais e eu trato elas como iguais. 

Do público gay eu sinto um carinho muito grande, como se eles sentissem uma carência de música pop realmente brasileira. Então você não precisa mais só gostar de Beyoncé ou Lady GaGa, agora pode gostar da Gaby. (risos)”

O slogan do site é inspire-se e nós queremos saber o que te inspira e, o que,você espera inspirar nas pessoas?

Eu me inspiro muito nas pessoas da periferia, elas tem uma alegria de viver independente das adversidade e eu aprendi muito com isso. E eu quero inspirar isso nas pessoas também, a força, a garra, a luta, persistência por seus sonhos.

Atualmente podemos torcer e conferir Gaby na nova edição do Dança dos Famosos no Domingão do Faustão, mas enquanto espera o fim de semana vale a pena dar uma conferida nas músicas da moça. A energia, voz e agilidade  da paraense é de fazer inveja em muita cantora com anos de carreira.

A moradora de Jurunas ganha por sua autenticidade e espontaneidade em conversas sinceras durante toda sua apresentação. Gabriela sem cravo e com muita pimenta e canela, é uma promessa para um cenário musical que precisa muito da vontade modesta de ser brasileiro.

* Fotos e texto por Diego Moreira