sábado, 3 de março de 2012

Momento Muza 2011! Os 10 momentos + gays e inspiradores de BH!

Loading
People! Chegamos ao capítulo final de nossa retrospectiva, ou melhor, do Momento Muza. Afinal, não faz 1 seman que aconteceu o Oscar e nem 1 mês que aconteceu o Grammy, certo? Desta vez, destacamos “Os 10 momentos + gays e inspiradores de BH em 2011”! Isso mesmo!

Você também pode aproveitar e relembrar e votar nas outras “etapas” do Momento Muza:
“10 músicas + gays e inspiradoras de 2011” e “Os 10 momentos menos gays e inspiradores”. Além dos “20 momentos + gays e inspiradores de 2011.


Concorda? Discorda? No final, tem uma enquente para você poder se expressar em cima da relação feita pelo Muza!

10 :: Projeto Pandora Criatividade é algo inspirador. E criatividade somada a talento, em BH ou de BH, tem que estar no Muza, certo? Então, merecidadmnte aqui está o Projeto Pandora. Trata-se de uma linha exclusiva de calçados para Drag Queens. A criação e idealização é de Manuh Batista, também conhecido em BH como a drag queen Manuza Leão. O projeto nasceu no sétimo periodo do curso de design de produtos pela FUMEC, cursado por Manuh. Em 1º de dezembro de 2011 foi realizado um desfile na torre Alta Vila como lançamento da coleção e como apresentação final do projeto de graduação. Em uma entrevista excluZiva concedida ao Muza, Manuh falou mais sobre o Projeto Pandora.

09 :: 2 anos da festa Caramelo Sundae A festa é constantemente destaque aqui no Muza. Não é uma festa gay e/ou só para gays, mas não há dúvida que muitos gays de BH se sentem super à vontade nesta festa regada a música pop. Além de ter sobrevivido ao primeiro ano, ela continuou firme no segundo. Fazendo edições externas, como a que aconteceu na festa de 2 anos, realizada na Josefine.

08 :: Carol Marra Em um ano em que os transexuais foram destaques, Belo Horizonte não ficou atrás e marcou presença com a modelo Carol Marra. Ela é daqui de BH e roubou as atenções no último Minas Trend Preview ao desfilar nas passarelas do evento. Além disso, em outubro de 2011, ela fez um ensaio para a L´Officiel Brasil, sendo a primeira modelo trans a aparecer na publicação.

07 :: 1 ano da boate On Board Club Em um ano em que alguns lugares LGBT de BH fecharam as portas, é importante celebrar aqueles que sobreviveram ou ainda estão “na ativa”. Neste quesito, podemos destacar a boate On Board. Inicialmente, a boate dedicava, de forma explícita, as sextas-feiras para público gay. Como tempo, toda a programação da casa se voltou aos homossexuais da cidade. Claro, que isso não quer dizer que quem vai lá seja necessariamente homossexual, mas o público gay da cidade pode sim, contar e ter a certeza, de mais uma boate GLS. Além disso, ao longo do ano as produções das festas só têm melhorado e atraindo cada vez mais público.

06:: “Piquenique pelo mesmo amor” aconteceu em BH
Em janeiro de 2011, aconteceu um movimento mundial, realizado simultaneamente em diversas cidades do mundo, como Buenos Aires, Los Angeles e Bogotá. Trata-se do “Piquenique Pelo Mesmo Amor”, que buscou um novo espaço de convivência coletiva de homossexuais, além das tradicionais Paradas Gays. E advinha? Belo Horizonte entrou na história e também marcou presença. Independente da quantidade de pessoas que aderiram, o que importa é que uma nova alternativa foi buscada e realizada. Obviamente, o Muza esteve presente e fez uma cobertura excluZiva.

05 :: Orgãos políticos de BH e Minas Gerias discutiram homofobiaPode parecer que não é muita coisa. Mas em 2011, pelo menos por uma vez, a Câmara Municipal de Belo Horizonte e a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (localizada em BH) pararam para discutir as agressões motivadas pela intolerância e pelo preconceito contra os LGBT, respectivamente, em esfera municipal e estadual.

04 :: 15ª edição do Miss Belo Horizonte Gay
15 anos não são 15 dias, nem 15 meses. Por isso, o empenho e profissionalismo de Michelle Loren à frente na realização do Miss Belo Horizonte Gay merece destaque. Ainda mais, quando em 2011, o evento chegou à 15ª edição. Isso mesmo! Realizado de forma quase independente (sem grandes patrocínios e/ou apoiadores) o concurso, que é uma das expectativas LGBT da cidade, resgata o glamour dos concursos de miss para a esfera LGBT. Para isso, são eleitos o Melhor Vestido e Melhor Simpatia. Além do título principal da noite. Um dos requisitos para participar é que nenhuma das candidatas tenham silicone e/ou ser transexual operada. As candidatas tinham que ser transformistas, ou seja, homossexuais que tenham aparência masculina, e se transformem em aparência feminina, o mais próximo de uma mulher.

03:: Beijaço gay contra a homofobia na UFMG
Não é possível mensurar o impacto que uma manifestação popular tem. Mas é importante, que quando haja necessidade, ela aconteça. Em abril, um casal gay foi agredido durante uma calourada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Como resposta, no mesmo mês, foi realizado um beijaço gay na Universidade. A manifestação contra o preconceito LGBT na UFMG aconteceu em um gramado em frente à reitoria no campus Pampulha e reuniu cerca de 200 pessoas, dentre elas gays, héteros, jovens, universitários de várias instituições de ensino, não universitários, casais e solteiros. O evento foi idealizado e organizado pela psicóloga Isadora Lima e por Pedro Queiroz, integrante do Grupo Universitário em Defesa da Diversidade Sexual (GUDDS).

02 :: 10 anos da boate Josefine
Nos últimos 10 anos, muitas boates gays e/ou espaços LGBT abriram e fecharam as portas em BH. Mas neste mesmo período, uma boate continuou com as portas abertas e se aprimorando cada vez mais. Trata-se da Josefine, uma das boates GLS com renome nacional. Em 2011, a boate completou 10 anos de existência. Para tanto, foi um ano intenso. O que foi ótimo para o público. Além de ter recebido uma nova decoração, trouxe DJ´s internacionais e shows de cantoras nacionais badaladas no meio, como Wanessa e Lorena Simpson. No segundo semestre, realizou o projeto “Quinta Mix Celebrities”, que trouxe diversas personalidades LGBT nacionais, como Sylvetty Montilla e Léo Áquilla. Ou seja, não basta ter anos de experiência. Tem que saber se reinventar. E isso, a Josefine sabe e quem ganha, é o público GLS de Belo Horizonte.

01 :: I Conferência Municipal LGBT de BH
Para uma dignidade LGBT como cidadãos, é fundamental que a cidade em que se vive e/ou estado e/ou país desenvolva políticas públicas neste sentido e ainda possibilidade espaços para pensar sobre. Desta forma, a realização da I Conferência Municipal de Políticas Públicas e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (I Conferência Municipal LGBT) de Belo Horizonte foi fundamental. Realizada durante três dias de setembro de 2011, teve como objetivo avaliar e propor as diretrizes para a implementação de políticas públicas voltadas ao combate à discriminação e à promoção dos direitos humanos e cidadania da população LGBT no Município de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais e no Brasil.