quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Deputados evangélicos querem legalizar a "cura gay" + Bispos da Igreja Universal podem ser presos

Loading

People! Deputados da bancada evangélica da Câmara apoiam o projeto do Deputado João Campos (PSDB-GO) que prevê intervenção no código do Conselho Federal de Psicologia, que estabelece que normas de atuação dos psicólogos em relação à orientação sexual dos pacientes.

O código em questão veta "qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas". Está proibido qualquer tipo de "ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados". Além disso, está proibida qualquer manifestação pública de psicólogos no sentido de "reforçar preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica".

O conselho de psicologia questiona se o projeto pode interferir na sua autonomia. Para o presidente do órgão, Humberto Verona, estão lá normas éticas para combater “uma intolerância histórica”.

Roberto de Lucena (PV-SP) , pastor e deputado diz que "cruel é deixar um homem em conflito ao léu psicológico". e diz que os pais que os pais têm o direito de mandar seus filhos para redirecionamento sexual.

Apesar de discurso cuidadosos dos deputados afim de velar o propósito do texto, o autor do projeto adimite que defende um tipo de terapia para tratar da homossexualidade.

"- Embora não esteja discutindo isso, eu entendo que é uma questão comportamental, e o homossexual, maior de 18 anos, que queira buscar esse auxílio de reorientação (sexual) deve ter esse direito. Nada imposto, nada obrigado." - disse o deputado.

Em outro ponto, o deputado reconhece não se tratar de uma doença:

"- O que a ciência continua investigando é se o homossexualismo é genético ou se é comportamental. Nestas duas vertentes, nenhuma delas é doença, portanto, não comporta cura."

O Projeto de Decreto Legislativo de Campos está sendo avaliado pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara e, em seguida, passará pela aprovação na Comissão de Constituição e Justiça.

O assunto promete ser ampliado com a criação de audiências públicas. Na câmara e no Senado, assuntos ligados aos homossexuais são tratados com cautela, qualquer declaração ou projeto repercute de forma positiva ou negativa entre as legendas e na opinião pública. Infelizmente, às vezes a criação de leis de proteção e outras leis afirmativas são adiadas, pois não são bem formuladas e a "intuição política" orienta para que esses assuntos não sejam tratados para não comprometer partidos e políticos. Propostas mal elaboradas, representantes sem o mínimo de conhecimento das condicionantes sociais, interesses políticos e a interferência de líderes religiosos na política brasileira impedem projetos de grande relevancia para a sociedade de irem para frente e não é só assuntos relacionados aos gays, mas também como saúde pública, educação e programas sociais.

Enquanto o assunto é tratado de forma cautelosa nos bastidores da política nacional, outras medidas são tomadas aqui fora: Bispos da Igreja Universal podem ser presos por "curar" um homossexual em programa de TV.

O Ministério Público do estado de São Paulo recebeu denúncia de "charlatanismo" feita pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), após um programa apresentado na IURD TV, em que o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, bispo Edir Macedo realiza um procedimento de "exorcismo" em que um rapaz identificado apenas como Leandro. Nele também aparece o bispo Clodomir Santos que conversa com o demônio e o expulsa depois de saber que o jovem se tornou gay por ser vítima de um “trabalho de macumba” de um vizinho contra ele.

Durante o processo de "cura", o jovem se contorce, grita e se ajoelha no chão enquanto os bispos começam a gritar “queimando, queimando, queimando” e o exorcismo é feito. O jovem volta ao seu estado normal e diz que se sente melhor. Depois, agradece por ser libertado pelos bispos da Universal. O vídeo já circula na internet há alguns meses e pode ser conferido no final deste post.

O Ministério público ainda não se manifestou, mas se caso forem condenados, os envolvidos podem pegar de dois à três anos de prisão.



No Brasil, adolescente se mata por ser vítima de bullying homofóbico

Loading



People! Uma história triste. Um adolescente em Vitória, Espírito Santo, acabou com a própria vida. O motivo? Ser vítima de bullying homofóbico. "Eles o chamaram de gay, bicha, gordinho... Às vezes ele ia embora chorando", revelou um colega de escola ao jornal Folha Vitória, fonte para esta notícia.

Esse mesmo colega relatou outra situação vivida pelo adolescente, que culminou no final trágico. Na última sexta-feira, véspera de carnaval, crianças e adolescentes fizeram uma roda ao redor do menino, que foi humilhado e empurrado,

O adolescente deixou uma carta pedindo desculpas pelo suicídio e dizendo que não entendia porque era alvo de tantas humilhações. O menino se enforcou com o cinto da mãe e foi encontrado já desacordado pelo pai. A mãe já havia pedido a transferência dele para outra escola.


Abaixo, você pode ver um vídeo-notícia feita por uma emissora local.







Reynaldo Gianecchini fala sobre sexualidade em nova entrevista

Loading

Bee! O Ator Reynaldo Giannechini, eterno galã que ganhou destaque na mídia por ter sido vítima de um câncer, é capa da revista época dessa semana. Na matéria, além de falar sobre como conseguiu lidar com a doença, o tratamento, espiritualidade e a carreira, o ator também aproveitou o momento para falar de fofocas e assuntos delicados como sua sexualidade e a confusão, que também foi parar na mídia, com seu ex-empresário.

A revista questionou diretamente se ele é hétero ou bissexual? No que Giannechini respondeu que essa questão da sexualidade é muito mais complexa do que as pessoas tendem a achar. “Cada um tem sua sexualidade. Nunca tive uma história com um homem, nunca fui casado com um homem, nunca tive um romance com um homem. Mas a sexualidade, ou a sedução, é outra coisa”. Para ele, as pessoas são sexuais no dia a dia sem transar e revelou que conhece amigos que “homem, mulher, seduzem a porta. A gente é mais sensual nos trópicos”. Outra dica que ele deu sobre si mesmo é que “se a história está publicada numa revista como fofoca, pode ter certeza de que é mentira”.

Ele também deixou claro na revista que seu envolvimento com o seu ex-empresário, que na verdade era uma espécie de administrador do ator (“Administrava toda a minha vida profissional e até minha casa. Como eu estava sempre viajando, precisava de alguém assim), não é uma questão homossexual. “Não é uma questão amorosa, definitivamente, que está em jogo... Essa é uma história que tem muitos desdobramentos, que envolve dinheiro, bens e contas... Mas é uma questão de trabalho, e precisa ser comprovado por A mais B onde foi parar meu dinheiro”.

Tá bom pra você? Clique aqui para ler a entrevista completa.

Personagem transexual será revelado hoje na novela Fina Estampa

Loading


Bee! Hoje vai ao ar na novela “Fina Estampa”, exibida pela Globo, a revelação de um personagem transexual. Quem acompanha a novela com certeza já deve estar desconfiado de uma das “Maridas de Aluguel” que não gostava de trocar de rouap na frente das outras "Maridas", que trabalham com Griselda/Pereirão, papel da atriz Lília Cabral. Assim.. a suspeita se confirmará.

No site oficial da novela já foi divulgado que Fabrícia (Luciana Paes) é a transexual que trabalha com Griselda. A cena, também está descrita no site, será a seguinte:

Quinzé (Malvino Salvador) entra no vestiário da loja do Pereirão.Fabrícia (Luciana Paes) troca de roupa, o rapaz a observa. “Quem diria: a Fabrícia tem corpão!”, diz para si mesmo. Mas quando a moça se vira, Quinzé leva o maior susto, soltando um grito de pavor.

Esbaforido, ele vai para o salão da loja e conta tudo à Griselda
e as outras maridas.... Eis que a própria chega e corrige o rapaz: “Transexual: é esse o nome!”. Griselda fica intrigada e questiona os documentos de sua funcionária. Fabrícia explica que falsificou tudo, e a dona da loja diz que ela pode ser presa por isso. Mas a marida se antecipa e diz que vai embora, sob o olhar apreensivo das colegas. Griselda a impede, afirmando que ainda vai decidir o que fazer.

Segundo boatos, a persongem também dirá que já está na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) para fazer a cirurgia de mudança de sexo. Para quem não sabe, este tipo de cirurgia já é possível ser realizada no SUS, o que é uma conquista.

Abaixo, você pode ver uma imagem da cena: o susto de Quinzé.

Médico ganha na Justiça o direito de incluir parceiro em cota de clube

Loading

People! Via O Tempo On Line Um médico paulista conseguiu na Justiça incluir o parceiro como dependente na cota de um tradicional clube paulista. O Club Athletico Paulistano não havia aceitado o pedido do patologista Ricardo Tapajós, de incluir Mário Warde, seu parceiro, e a filha dele no título familiar. A discussão se arrastava desde 2009.

A 11ª Vara Cível questionou a decisão do clube, que demorou oito meses para analisar o pedido do médico e “por ampla maioria de votos, indeferiu o pedido do associado”. A decisão se baseou na comprovação de união estável do casal homossexual. Segundo o juiz, o casal deve ter garantida a igualdade jurídica, independente do sexo. As informações foram divulgadas nesta segunda pelo jornal "Folha de S. Paulo".


Em 2010, o clube havia alegado que se baseou no Código Civil e na Constituição Federal para classificar a união estável somente entre homem e mulher.


Acima, podemos ver o casal em uma foto de aqruivo pessoal: Ricardo (direita) conseguiu incluir Mário (esquerda) e a filha dele como dependentes.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Momento Muza 2011! Os 10 momentos menos gays e inspiradores!

Loading
People! Dando continuidade ao Momento Muza 2011! Depois de conhecermos as “10 músicas + gays e inspiradoras de 2011chegou á hora de destacar “Os 10 momentos menos gays e inspiradores” do último ano! Sim! Depois do Grammy, do Oscar é a vez de O Momento Muza! ;)



Concorda? Discorda? No final, tem uma enquente para você poder se expressar em cima da relação feita pelo Muza!

10 :: morte da cantora Amy Winehouse

Ela não é a Cher, nem a Lady Gaga e muito menos a Madonna, mas não há como passar despercebido e/ou ignorar a morte de uma das cantoras mais talentosas (e problemáticas) que já existiu. Com seu vozeirão, sua emoção, seu visual e sua loucura Amy, antes mesmo de sua morte, já era ícone pop imitado e interpretado por muitos travestis por a, além claro, de agradar muito o público gay e não-gay. Em uma as festas do Muza em 2010, houve até uma performance da drag Penélope Fontana de Amy Winehouse, cantando o seu maior sucesso: “Rehab”. Mas em 23 de julho de 2011 Amy nos deixou...

09 :: Globo e SBT “baixam a bola” de personagens gays

Apesar do avanço em 2011 na abordagem da temática LGBT nas novelas – tanto da Globo quanto do SBT – infelizmente, esse “avanço” e/ou “abordagem” incomodou “alguém” e com isso, as próprias emissoras, “baixaram a bola” dos persongens gays nas novelas “Insensato Coração”, da Rede Globo, e “Amor e Revolução”, do SBT. Segundo matérias divulgadas na época, cenas já gravadas foram descartadas e ao mesmo tempo foi orientado haver diminuição das cenas. No SBT, chegaram a cancelar um beijo gay na novela, mesmo depois da exibição de um beijo lésbico na mesma novela. Uma nota da Rede Globo declarou: “Nossas tramas registram a afetividade e o preconceito, mas não cabe exaltação”.

08 :: Deputada e atriz Myrian Rios relaciona homossexualidade com pedofilia

Tem pessoas que ganhariam muito mais ficando caladas. Mas elas insistem em querer abrir a boca... é o caso da atriz Myrian Rios, então deputada estadual (?!), e “missionária católica”, como se descreve em seu site. Em um discurso na Assembleia Legislativa do Rio ela disse ser contra a PEC 23/2007, que muda a constituição do estado do Rio incluindo a orientação sexual como direito fundamental. Em seu discurso, disse uma asneiras atrás da outra, mas sobretudo, reforçando o seu preconceito e, infelizmente, uma parcela da sociedade que pode pensar como ela. Em sua fala, destaca-se, o direito que ela disse ter, de não querer contratar um funcionário homossexual porque isso poderia influenciar seus filhos e, ainda, tal influencia resultar em pedofilia. Lembrei do “Cala a boca Magda”, mas a Magda era engraçada... já a Myrian...

07 :: Livro que afirma que Lampião era gay teve lançamento cancelado

Entendo que a família de Lampião, vulgo Virgulino Ferreira, não tenha gostado de saber que um livro – após pesquisa – tenha constatado que o “Rei do Cançago” era gay. Afinal, pode ir contra a imagem de “Homem do Sertão” e “Cabra Macho”, mas chegar a ir à justiça para pedir o cancelamento do livro, é demais. Não seria mais simples ignorar e/ou ainda se manifestar publicamente sobre o assunto? Isso para mim, só mostra o retrocesso social-legal que vivemos em relação aos LGBT ou a simples menção aos L, G, B e T. Afinal, a família pode ter tido o direito de querer cancelar o livro, mas daí, a justiça concordar... Mas fato é que o livro “Lampião – O Mata Sete”, de Pedro Morais não foi publicado.

06 :: Projeto para criação do “Dia do Orgulho Hétero”

Parece inacreditável, mas não aconteceu. Parece piada, mas esqueceram de rir. Mas fato é, que a Câmara Municipal de São Paulo, em agosto de 2011, aprovou um projeto de lei, que institui no município, o Dia do Orgulho Heterossexual. Tal criação ou ócio político foi de autoria do vereador Carlos Apolinário (DEM), ligado a bancada evangélica. Sua justificativa?Uma forma de se manifestar contra “excessos e privilégios” destinado à comunidade LGBT. Precisa comentar? Ignorância + preconceito define! Felizmente, esse absurdo precisava da aprovação do prefeito de SP, Gilberto Kassab, que, por fim, vetou tal projeto. E esse ano tem eleições... vale a pena ver um vídeo da dupla de Dani Calabresa e Bento Ribeiro, do Furo MTV, sobre o assunto.

05 :: Discussão política e adiamento da PLC 122 (criminalização da homofobia)

O Projeto para criminalizar a homofobia no Brasil, o famoso PLC 122, quase deu um passo a frente em dezembro de 2011. Mas, por divergências políticas entre políticos aliados à causa LGBT, a votação do Projeto na Comissão de Direitos Humanos do Senado não aconteceu. O motivo foram as alterações no novo texto do Projeto que seria votado, que estava de acordo para alguns, como a senadora Marta Suplicy, mas equivocado para outros, com o deputado Jean Wyllys. No fim, foi deciddo que um novo texto será feito, para aí sim, uma votação do Projeto. Nada contra protestarem ou até mesmo um novo projeto ser feito. Mas está nesta relação do Muza para mostrar a fragilidade políticas que aliados LGBT se colocaram e com isso, o aparente descrédito e confusão política entre si. Já que, o texto que seria apresentado, não teria sido visto por uma parte. Fiquem atentos! Afinal, todos lutamos pelo mesmo objetivo, certo? ;)

04 :: Jogador de vôlei é ofendido por torcida em Minas Gerais

Mais um exemplo de preconceito e discriminação social. Mas desta vez, de forma coletiva. O que é vergonhoso. Além do que, eu como mineiro, sinto-me particularmente envergonhado do que aconteceu. Em um jogo de vôlei, realizado em Contagem, cidade próxima de BH, em abril de 2011, o jogador Michael, do clube Vôlei Futuro, foi insultado pela torcida oposta – do time Cruzeiro - com xingamentos como “bicha”. "O ginásio estava superlotado e todos me chamando de “bicha”, “gay” e outras ofensas. Me sinto ofendido e constrangido pelo ocorrido; não eram só alguns torcedores de torcida de futebol, eram crianças, mulheres, o ginásio inteiro gritando e me ofendendo”, relatou o jogador na época. O Governo de Minas pediu desculpas e o time de Michael encaminhou ao tribunal e à Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) um relatório com reclamações sobre o confronto.

03 :: Pai e Filho são confundidos com casal gay e são agredidos

Até que ponto pode chegar a disseminação do preconceito? Quais as conseqüências e seqüelas que pode ter uma discriminação? São esses e outros questionamentos profundos que me faço ao lembrar da história que aconteceu em julho do ano passado, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo. O que aconteceu? Um pai e um filho estavam abraçados vendo um show na cidade quando foram agredidos por um grupo de rapazes que acharam que os dois eram homossexuais, mesmo explicando que não. Resultado? O pai simplesmente perdeu uma orelha durante a agressão que sofreu. Nada aconteceu, apenas suspeitos foram presos.

02 :: Cancelamento do Kit Anti-homofobia pela presidenta Dilma

Uma das principais formas de combater o preconceito, sem dúvida, é a educação. Assim, levar a pauta da diversidade sexual e a homofobia paras as salas de aula é algo primordial e fundamental no caminho eficaz para uma sociedade que respeita os direitos humanos. Assim, o material didático/pedagógico – intitulado Kit Gay ou Kit Anti-Homofobia (trabalho realizado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), através do projeto Escola Sem Homofobia,e em conjunto com entidades LGBT do país) não chegou a ser distribuídos na escoal porque a presidenta Dilma vetou o projeto. “O governo defende a educação e também a luta contra práticas homofóbicas. No entanto, não vai ser permitido a nenhum órgão do governo fazer propaganda de opções sexuais”, declarou a presidenta, em sua justificativa. Entretanto, especula-se que tal decisão de Dilma se deu em razão a pressão da bancada evangélica e de grupos católicos do Congresso, além de ameaças dos parlamentares desses grupos de apoiar investigações contra seus ministros. Lamentável!

01 :: Deputado Jair Bolsonaro

Infelizmente, de certa forma, tudo que esteve antes nesse “top 10” encontra-se, de certa forma, na figura do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ). Ele é o símbolo atual do preconceito, do retrocesso político e social e principal personalidade pública e política contra os avanços e/ou buca por avanços sociais e legais/jurídicos da comunidade LGBT. Em 2011, ele constantemente foi notícia por atitudes e falas neste sentido. Foi a programa de TV dizer que seus filhos não seriam gays porque ele soube dar uma boa educação e disse que não iria à uma Parada Gay porque não promove os maus costumes. Também causou tumulto no Congresso ao dizer/distorcer que sofria heterofobia e ao criar e divulgar uma cartilha/panfleto “anti-gay” – que criticava ações pró-LGBT no Congresso, como o kit antihomofobia - que também foi distribuída no Rio de Janeiro. Por fim, ele ainda apareceu na mídia, em tom agressivo, sugerindo que a presidenta Dilma Roussef fosse homossexual. Por essas e outras que Bolsonaro é, sem dúvida, o momento menos gay e menos inspirador – no sentido mais amplo – que aconteceu em 2011.







ColunaZs - “Bicha Velha”

Loading


Como já publicado aqui no MuZa, Christopher Plummer ganhou o Oscar por sua atuação em “Toda Forma de Amor” (Beginners). No filme, ele retrata um homem que decide, aos 70 anos de idade, assumir sua homossexualidade.

Você já pensou em como é ser um gay idoso? Não digo como será para nós, jovens gays da atualidade, quando envelhecermos. Mas sim para os que já são idosos. Como é, e como foi, a vida de um gay, de uma lésbica e das demais letras da sigla?

Para começar eles viveram em um tempo com muito mais preconceito do que hoje. A possibilidade de auto preconceito é maior, inclusive. Se hoje várias pessoas se sentem mal por serem homossexuais, imagine 40, 50, 60 anos atrás. A vida de fingimento a qual muitos se condenaram. Logicamente alguns foram contra as crenças impostas e levaram sua vida da forma mais natural possível, além de também lutarem por seus direitos.

Para eles a vida não ficou mais simples com o passar do tempo. Apesar da ainda existente homofobia, nós conquistamos inúmeros direitos e certo respeito da sociedade, mas a realidade para quem tem mais idade é diferente. Se assumir aos 70 anos, como mostrado no filme, não é simples. A pessoa provavelmente já tem filhos e até netos, uma família que foi criada com a ideia que essa pessoa era heterossexual. Além do preconceito que muitos homossexuais tem. Quantas ‘brincadeiras’ maldosas você já não ouviu a respeito da ‘bicha velha’, ou quantas você mesmo já não fez?

Mantenho minha posição a respeito do humor. Piada não deve ser levada a sério, e sim como uma simples piada. Mas existem linhas que não devemos cruzar. O que começa como piada pode, mesmo que sem querer, acabar se tornando uma fala preconceituosa. Então, cuidado.

Homossexuais não surgiram com o passar do tempo, homossexuais fazem parte da história da humanidade. Toda geração possui homossexuais, assim como todas as gerações possuíram, e possuem, negros e mulheres. O que nem todas as gerações possuem são os direitos iguais.

Seja pelo conflito interno, por ‘pressão’ familiar, preconceito dos amigos, o motivo que seja, idosos homossexuais, em sua maioria, ainda enfrentam preconceitos fortes. Em alguns casos mais fortes do que as novas gerações.

Já disse isso várias vezes e repetirei novamente. Se queremos direitos iguais, devemos querer para todos. Não podemos ignorar um certo grupo de pessoas, ou nos dar ao luxo de esquecer sua existência.

*Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The Bitch says: follow my ass!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Ouça a nova música da Madonna: "Girl Gone Wild"

Loading
Bee! Você já pode conferir a nova música de trabalho da Madonna: “Girl Gone Wild”. Acima, você vê a capa oficial do single. Abaixo, é os apertar o play para ouvir a nova canção - inclusive, com a letra - do disco “MDNA”, que será lançado no dia 26 de março.

A música foi produzida por Benny Benassi e seu primo Alle Benassi. Nas palavras de Benny: “uma música de festa, com uma pegada mais forte, como se fosse parte do álbum Confessions on a Dancefloor, porém menos house e mais electro”.

O vídeo-clipe da música será dirigido pelos fotógrados-badalados Mert & Marcus. Eles já realizaram diversos trabalhos com a Rainha do Pop, inclusive as capas do disco “MDNA”. O vídeo foi gravado em um único dia da última semana, em Los Angeles. O lançamento não deve demorar.... já que "Give Me All Your Luvin", apesar de ter chegado ao top 10 da Billboard, não emplacou nos Estados Unidos e muito menos no Reino Unido, que não entrou nem no top 30.






Ah! Também acabou vazando uma introdução da música, que não foi divulgada junto com a música. Nessa introdução, Madonna aparece falando, quase sussurando, uma espécie de confissão religiosa: "Oh Meu Deus, estou sinceramente arrependida de ter ofendido vocês e eu detesto todos os meus pecados e temo a perda do céu e a dor do inferno. Mas, acima de tudo, porque amo vocês e quero muito ser boa". Confessions On A Dance Floor Feelings?! E se você não percebeu a gente tirou o S do "Girls", porque o nome mudou para "Girl Gone Wild".




Oscar 2012! Ator ganha prêmio por interpretar gay q sai do armário aos 70 anos + tapete vermelho

Loading

Bee! O ator Christopher Plummer, depois de ganhar o Globo de Ouro também ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante pro sua atuação no filme “Toda Forma de Amor”(Beginners, escrito e dirigido por Mike Mills e com Ewan McGregor no elenco). No longa, O ator de 81 anos interpretou um senhor que aos por volta dos 70 anos decide revelar sua homossexualidade ao filho. Abaixo, você pode ver o trailer do filme “Toda Forma de Amor” que, infelizmente, no Brasil foi direto para DVD.







Sobre o Oscar em si... Os filmes “O Artista” e “"A Invenção de Hugo Cabret" foram o destaque da noite. Cada um levou 5 estatuetas. “O Artista”, de Michel Hazanavicius, ficou com os principais prêmios, como melhor filme e melhor direção. Já “Hugo”, de Martin Scorsese, ficou com prêmios técnicos, como direção de arte e fotografia. O prêmio de melhor ator foi para o galã-gato Jean Dujardin, de "O Artista", e o de melhor atriz, foi para a diva Meryl Streep, por sua atuação em “A Dama de Ferro”.

Clique aqui para ver a relação completa de ganhadores.

Abaixo, você pode ver alguns destaques do tapete vermelho.

















Cameron Diaz é barrada em After Party de Madonna? Oh wait!

Loading



Com a colaboração de Demi Moore e do empresário Guy Oseary
, Madge realiza seu tradicional After Oscar's Party. Na lista de convidados, estão Britney Spears Angelina Jolie, Brad Pitt, Tom Cruise e Tom Hanks.

O Oscar mal acabou e já tem bafão pra contar.
O primeiro babado desta noite é com Cameron Diaz. Segundo fontes do jornal britânico The Mirror, os seguranças de Demi Moore teriam recebido ordens diretamente da atriz para "impedir que Cameron adentrasse ao local da festa em qualquer circunstância".
Demi Moore impediu a entrada de Cameron Diaz, que apesar de ser uma convidada de Madonna, porque durante a cerimônia do Globo de Ouro, em janeiro seu ex-marido, Ashton Kutcher, teria flertado com Cameron Diaz. Demi viu isso e não gostou nem um pouquinho.

Demi com problemas: A atriz está terminando uma temporada em uma clínica de reabilitação em Sundance, Utah, nos Estados Unidos. Apesar de seus assessores informarem que são "outros motivos", muitos asseguram que Demi sofre de anorexia e abusa de substâncias químicas. Além disso, o casamento de Demi de seis anos com o ator Ashton Kutcher terminou recentemente, depois que rumores deram conta de que Ashton teria traido a atriz com várias garotas mais jovens.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Momento Muza 2011! As músicas + gays e inspiradoras!

Loading

People! A maior premiação da música, o Grammy, aconteceu em fevereiro, certo? O relatório do Grupo Gay da Bahia (GGB) sobre a discriminação contra os homossexuais no Brasil em 2011 também foi divulgado em fevereiro, certo? Hoje, 26 de fevereiro, que acontece o Oscar, certo? Então, confortavelmente, o Muza informa que os últimos 4 dias do mês de fevereiro serão para divulgar o Momento Muza 2011! Isso mesmo! A relação do Muza sobre: “As 10 músicas + gays e inspiradoras de 2011”, “Os 10 momentos menos gays e inspiradores de 2011”, “Os 20 momentos mais gays e inspiradore de 2011” e “Os 10 momentos mais gays e inspiradores de Belo Horizonte em 2011”.

Para começar, nada melhor do que recordar as músicas, ou melhor, "As 10 músicas + gays e inspiradoras de 2011", que causaram na pixta, na cabeça, na sociedade e no coração dos gays... então, respire fundo, afaste os móveis da sala e aperta o play abaixo!

Concorda? Discorda? No final, tem uma enquente para você poder se expressar em cima da relação feita pelo Muza!

10:: “Comum de dois” - Pitty
Não! Não é estranho a música “Comum de dois” da roqueira Pitty aparecer por aqui. A música leva ao seu gênero (o rock e/ou pop/rock) e ao seu respectivo público, de uma maneira simples e direta, atavés de sua letra, a ideia do travestismo e do crossdressers. No caso, do homem que se veste de mulher: “Se transformou/Se arriscou/Reinventou/E gostou/Ele se transformou”.

09:: “Libertad”,, Christian Chávez e Anahí
Em 2011, os ex-RBD, Christian Chávez e Anahí, se uniram em uma música e um vídeo-clipe polêmico: “Libertad”. O Clipe é polêmico, traz, sobretudo, Christian em cenas sensuais homossexuais. Além dos dois fazerem o melhor estilo “divas pop”, com muita coreografia e figurino exuberante. Como o próprio nome da música sugere a música é sobre libertação e viver sem medo. Para isso, na letra da música há frases como “É tempo de viver sem medo”, “Eu só quero liberdade” e “Não tenho que esconder minha personalidade”. Sobre o vídeo, Christian falou sobre ele em entrevista excluZiva ao Muza. Além disso, os dois se apresentaram na Parada Gay de São Francisco do ano passado, nos Estados Unidos, com essa música.

08:: “Shake do Amor” – Banda U Ó
Uma mistura de eletrobrega + música pop + uma vocalista trans no vocal. Tudo isso fez explodir e cauzar a banda U Ó e sua música “Shake do Amor”, uma versão para “Whip My Hair” da Willow Smith, com o famoso e repetitivo verso “Vou me vingar de você”. Muitos dos indies-gays curtiram e se jogaram horrores! Além disso, a letra é no mínimo curiosa: “Esse homem veio e me fez cega/ Tirou tudo que eu tinha/ Tirou até as minhas pregas”. Eita!

07:: “Beautiful (drop dead)” – Britney Spears feat Sabi

Apesar dos hits de Britney Spears em 2011, como “Till The World Ends” e “I Wanna Go”, uma música do disco Femme Fatale sucesso também para o público gay e olha que nem foi single do disco. Estou falando de “Beautiful (drop dead)”, com a participação de Sabi, que chegou a ser dublada por soldados americanos no Iraque – que virou sensação na web – e até serviu de trilha para uma produtora de filmes pornôs gay. Além disso, claaaaaaro, quando tocava na boate era uma jogação só, no melhor estilo keep on dancing till the world ends. Além da letra falar sobre um homem lindo de morrer!

06:: “Your Lies” – Natália Damini
“Your Lies” foi uma das músicas responsáveis por revelar a cantora Natália Damini no cenário de e-music nacional, que já tem nomes consagrados como Lorena Simpson e Amannda. Depois do hit “Feelin The Love”, com “Your Lies”, Natália fez um vídeo-clipe com uma história de desilusão amorosa gay – no que ela falou mais em entrevista excluZiva ao Muza – e ainda alcançou o topo de músicas mais vendidas no site MasterBeat de música eletrônica. Ficando a frente de artistas como Jennifer Lopez e Lady Gaga. A música ganhou ainda um remix oficial do nosso querido e talentoso DJ mineiro (de BH), Allan Natal.

05:: “Stikcy And Dough” – Wanessa feat Bam Bam
Wanessa continua firme na missão de ser destaque na cena dance/pop nacional e internacional (?). Com “Stikcy And Dough” ela conseguiu dar um bom passo, senão o melhor, nesse sentido. Ao mesmo tempo que ela remete a divas da e-music nacional, como Lorena Simpson e Amannda, ela também chega, com essa música, a lembrar divas pop internacionais, como Britney Spears. Não é exagero! Além disso, no vídeo, ela fez algo que os gays adoram: dança com coreografia. O vídeo-clipe da música traz uma coreografia que muitos repetiram nas pixtas por aí.

04:: “Run The World (Girls)” –Beyoncé
A mensagem da música é clara: quem comanda o mundo são as garotas. Mas isso não quis dizer que só as garotas poderiam curtir ou se identificar com a música. Pelo contrário! Os gays que o digam! “(Run The World) Girls” causou um verdadeiro frisson no meio gay e nas boates. Seja para tentar copiar mais uma coreografia elaborada da Beyoncé, seja para gritar Gays ou invés de Girls ou ainda pela sonoridade diferente (aqui no Brasil facilmente assimilada por lembrar o funk).

03:: “On The Floor” - Jennifer Lopez feat Pitbull






Por mais “farofa” que essa música seja, ao reunir nela vários elementos clichês de canções dance, ela virou um sucesso mundial. Mas não tem como negar que quem primeiro acolheu e gostou da música e assim contribuiu, sem dúvida, para esse retorno/sucesso de J.Lo foram os gays. Lembro bem de ver essa música estourar nas pixtas gls quando a maioria do público ainda nem conhecia direito a música, apenas os versos da famosa música de lambada da banda Kaoma.

02:: “Happiness” - Alexis Jordan






Tem músicas que não sei explicar, elas tem algo em sua melodia, em sua letra, na maneira de cantar do artista, que em seu conjunto que “só podem” ser “definidas” como: uma música gay. Esse é o caso de “Happiness” da novata Alexis Jordan. Essa música fez a cabeça das gueis na balada e fora dela. Afinal, cheguei a ver uma performance de uma drag queen dublando essa música e encantando a todos os presentes. Além disso, é claro, tem aquela mensagem de amor que todas curte: “Através da força que eu encontrei o amor/ Com o tempo eu me encontrei em felicidade com você”.

01:: “Born This Way” - Lady Gaga






Houve muita expectativa com essa música de Lady Gaga. Assim, quando ela foi divulgada, trouxe consigo muita frustração. Talvez por culpa da própria Mama Monsther ao dizer que “Born This Way” era um novo hino e blá blá blá e, claro, o fato da sonoridade dela lembrar “Express Yourself” da Madonna. A própria Rainha do Pop declarou, recentemente, que a música de Gaga lembrava (para não dizer copiava) sua música dos anos 80. Mas... não tem problema! Fato é que "Born This Way" lavou a alma de muitos gays quando foi lançada, e fez vários deles cantarem ela como se fosse realmente um hino pelas boates de todo o mundo. Além disso, nenhuma música pop antes, por mais simpatizante que fosse, trouxe em seus versões palavras como: “Não importa se você é gay, hétero ou bi/Lésbica ou transexua/ Estou no caminho certo/Nasci para sobreviver”. Sim! Little Monster ou não, “Born This Way” foi a música mais bapho de 2011!












Depois de 15 anos, Página GLS do jornal O Tempo não será mais publicada

Loading


People! Depois de 15 anos, a página GLS, publicada todos os sábados no jornal O Tempo não existirá mais. Esta notícia, que por um lado nos faz ficar triste com a perda de um espaço fixo em um jornal de grande circulação e importância em Belo Horizonte e região, por outro, nos deixa alegre por saber que as pautas serão incorporadas ao jornal como um todo, algo que, por sinal, já vinha sendo feito pelo jornal. Tirando assim, as questões e pautas GLS de um lugar específico, mas para fazer parte do todo. De qualquer forma, a Página GLS, criada em 1996, cumpriu o seu papel de visibilidade e informação LGBT.

Abaixo, você pode ver na íntegra a matéria divulgada na última edição a Página GLS, em matéria de Daniel Toledo. Na coluna de Oswaldo Braga, fundador do Moviemento Gay de Minas (MGM), também incorporada a página GLS há 5 anos, ele também despediu-se do espaço e falou sobre sua importância: “A princípio pensadas para garantir a abordagem de temas como a luta dos gays e dos negros ao menos uma vez por semana nas páginas do jornal, perdem o sentido quando passam a ser incorporados pelas outras editorias e se tornam pautas diárias... Em 2007, quando fui convidado... O desafio seria, portanto, aproveitar esse espaço e desmistificar o cidadão gay e todos os estereótipos construídos em anos de cultura homofóbica e machista. Ao mesmo tempo, a coluna deveria conversar com os homossexuais e atraí-los para o debate.”

Há 15 anos, quando o jornal O TEMPO chegou ao mercado, o movimento LGBT ainda engatinhava no país. Para se ter uma ideia disso, a Parada Gay de São Paulo, hoje a maior do Brasil, reuniu algo em torno de 500 pessoas naquele ano, passando quase despercebida aos olhos da mídia.

Atualmente, todos sabem, a situação é bastante diferente. Mesmo que muitos degraus ainda precisem ser galgados, o movimento cresceu em todo o país. A reboque dele, cresceu o número de notícias e reportagens relacionados ao universo LGBT, as quais têm ocupado não apenas as páginas policiais, como se via há alguns anos, mas também seções de cultura, política e economia.

É diante desse panorama que esta página, criada pelo jornalista Marco Antônio Lacerda em 1996, chega hoje à sua última edição. O Magazine, tal qual os demais cadernos deste jornal, incorpora a temática LGBT à sua agenda diária, regida pelo fluxo e a relevância dos acontecimentos.

Frequente interlocutor desta página ao longo de sua história, o presidente da ABGLT Toni Reis reconhece o novo caráter dos tempos atuais e a necessidade de outras formas de apresentá-los como notícia. "É fundamental que essa temática esteja em todos os espaços do jornal, assim como importante que algumas abordagens específicas sejam preservadas. O TEMPO tem sido um grande vetor de cidadania, direitos humanos e conscienti-zação da comunidade LGBT. É por meio de iniciativas como essas que se cria, de fato, uma comunidade", defende Reis, militante desde o início da década de 1980.

Minas Gerais. Coordenador do Movimento Gay da Região das Vertentes, em São João del Rei, Carlos Bem ainda está na casa dos vinte anos, mas já acumula dez de militância e reconhece consistentes transformações na quantidade e na qualidade dos espaços midiáticos atualmente conferidos a causa LGBT. "Há uma década, a população LGBT só tinha visibilidade em páginas policiais ou por meio de grandes caricaturas na TV. Não havia, por exemplo, reportagens sobre cidadania e direitos humanos", relembra.

"Nos dias atuais, por outro lado, o movimento consegue se organizar e se integrar ao discurso da mídia, que tem sido um palco muito importante para tratar da violação dos direitos da população LGBT, por exemplo. Se hoje em dia essa questão está sendo debatida pela sociedade, a imprensa certamente tem muito a ver com isso", completa Bem, também coordenador da ArtGay Jovem.

Opinião semelhante tem Carlos Magno Fonseca, coordenador do Centro de Referência pelos Direitos Humanos e Cidadania LGBT da Prefeitura de Belo Horizonte. "Sem dúvida nenhuma, boa parte dos meios de comunicação têm se tornado fortes aliados no combate à homofobia. Na minha visão, preconceito se combate por meio de convivência e informação. E para todos aqueles que não tem um amigo ou um parente LGBT, a informação continua sendo o melhor caminho", sintetiza.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Um papo excluZivo sobre visual na balada com os produtores Rodrigo Leon (BH) e Laís Pattak (SP)!

Loading

Bee! Como sabe, em fevereiro a boate On Board realizou a festa “Hollywood Street”, que teve como destaque a presença da produtora paulistana Laís Pattak e o lançamento do tumbrl Hollywood Street, voltado a moda de rua de BH. O Muza esteve presente e, pretinentemente, conversou com Laís Pattak e Rodrigo Leon, produtor de festas em BH, sobre visual na balada.

Quando começamos a conversar e fazer um paralelo das baladas de BH e São Paulo, Rodrigo Leon logo observou que “o pessoal de BH é estiloso, mas em São Paulo é mais. Eles preocupam mais com isso", no que Laís completou: “Não sei se o povo se preocupa mais. O lance do Glória (casa noturna paulista onde Laís realiza suas festas) é que tem um público muito característico. Gostam de se vestir e preocupar mais com roupa, sapato, maquiagem.... gostam de sair bem na foto, gostam de tirar foto e gostam de aparecer”. Em seguida, Leon disparou uma frase que pode, a primeira vista, soar polêmica e/ou controversa:

“Não é pecado querer aparecer”, foi a declaração de Rodrigo Leon, a qual, pedimos explicações... “Eu falo que não é pecado querer aparecer, porque as pessoas tem preconceito com quem quer aparecer. Eu acho bacana você querer mostrar o que você tem, o seu interior por meio de roupa, cabelo, maquiagem... é gostoso você ir em um lugar onde as pessoa se preocupam em estar bem vestidas, bem apresentáveis e se preocupam com estilo”. Entretanto, Rodrigo ponderou e ressaltou que “a vida não se resume a isso, muito menos por isso. Mas é bacana, a noite se torna mais gostosa quando as pessoas se produzem para ir e não, simplismente, colocam um bermudão e sai. A noite para mim não é isso”.

Laís reforçou a ideia de que a noite não é “isso” ao revelar que se sente até mais valorizada, como produtora quando o pessoal capricha no visual. “Eu prefiro esse meio que eu trabalho quando as pessoas se dedicam para sair. Que se arrumam mais cedo, conversam com o amigo sobre o que vestir, que roupa vai.. . eu acho mais legal. Você sente que seu trabalho é mais valorizado. A pessoa se preocupou em ir na festa, com o DressCode”, ressaltou.

Apesar do visual ser algo importante para os produtores, os dois também concordam que independente da indumentária um acessório não deve ir junto nas festas que realizam: “não ter carão na balada!”. “As pessoas tem que se divertir”, ressalta Rodrigo, No que Laís concordou da melhor maneira popular: quem cala, consente.

EM TEMPO: como dissemos a festa também foi o lançamento do tumbrl Hollywood Street, dos também fashions e simpáticos Patty Hollywood e Yago Marciano, que também contam com o apoio de João Andrade e Célio Dias. Eles revelaram que a proposta é mostra a moda de rua de Belo Horizonte, algo, para eles, ainda inexistente na cidade. Clique aqui e conheça o Hollywood Street.

Abaixo e ao lado, você pode ver o Muza Galeria, atualizada com fotos do pessoal que esteve presente na festa!




sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Entrevista excluZiva com Johnny Luxo

Loading
Bee! Como sabe, Johnny Luxo esteve recentemente em BH, discotecando na festa “Vira o Disco!” da Velvet Club. O Muza esteve presente e teve um conversa excluZiva com ele sobre discotecagem, moda e referências.

Moda


Apesar de falarmos em Johnny Luxo e associarmos com moda, ele revelou que a moda não está tão presente em sua vida como imaginamos, mas ele está envolvido com ela desde a infância. “Eu sempre gostei de moda, roupa, cabelo, maquiagem. .. tudo que faz parte do vestuário e aparência da pessoa... desde cirança. Em algum momento no passado eu estive mais envolvido com isso... As pessoas não imaginam quantos anos eu tenho... tenho 40 anos e estou na noite desde o início dos anos 90”, revelou e explicou. Entreanto, atualmente ele está envolvido em um projeto de uma casa noturna de São Paulo que trata de moda, asm de uma forma mais abrangente. “Todas as quintas-feiras, na festa Oh La La, reúne pessoas da moda, arte e da noite... mescla”, ressaltou.

Além de já ter usado e abusado de um visual andrógino, Johnny já fez parcerias com o estilista Alexandre Herchcovicth – nas passarelas e nas pickups. Ele também já fez talk-shows na MTV e em 2009 integrou o elenco oficial do programa “Toda Sexta, apresentado por Adriane Galisteu e exibido na Band.

DJ em BH

Esta não foi a primeira vez que Johnny toca em BH. Pelo contrário! “Eu já toquei em BH muitas vezes. Há muitos anos eu já toquei em uma boate chamada Jet Set (alguém lembra dessa boate?). Já toquei também na Josefine algumas vezes... no Velvet é a segunda-ve”, conta. Mas o DJ não pensa em nada específico quando toca na capital mineira. Geralmente, toca o mesmo set que está tocando em São Paulo. O que, geralmente, funciona. “Toco de três a quatro vezes na semana. O que toquei em São Paulo eu toquei aqui. Usei o mesmo repertório, mas funcionou. Tem sempre algumas diferenças, mas acaba funcionando sempre”.

Na Balada


Johnny está presente na noite desde quando era menor de idade. “Lembro que comecei a sair com 17 anos. Eu me vestia de uma maneira tão extravagante que ninguém me pedia meus documentos”, revelou. Assim, com mais de 20 anos marcando presença nas baladas ele tem autonomia para dizer se houve ou não mudanças ao longo dos anos. “Lembro q nos anos 90, você não tinha a quantidade de opções que se tem hoje, por exemplo. Eram três ou quatro lugares legais, hoje tem uma porrada. Está muito diversificado e democrático. Vejo também, que as pessoas estão começando a sair cada vez mais cedo para a noite”. E isso é bom? Eu pergunto. “Não acho negativo, acho positivo na verdade. Toda semana você não vô mais as mesmas pessoas. Lembro que antigamente você ia nos lugares e eram sempre as mesmas caras,as mesmas pessoas . Hoje a rotatividade é muito grande. Acho bom porque não fica na mesmice”, observou.

Inspirações luxosas

Por fim, sempre queremos saber o que inspira nossos entrevistados e com Johnny Luxo, não seria diferente. “Carmem Miranda, Michael Jackson, Madonna, Elvis... a atriz mexicana que fez a Paola Bracho (Gabriela Spanix, da telenovela mexicana A Usurpadora), a vilã da Maria do Bairro (papel de Itatí Cantoral, na telenovela mexicana, estrela pela cantora/atriz Thalia), que é super Odete Roitman. Música , TV, filmes, cinema. Hoje em dia na internet, as redes sociais: a troca de informações com pessoas q você nem conhece...”. Anotou? Luxo, hein?

Abaixo, algumas fotos das pessoas que estiveram na balada “Vira o Disco”, na qual o Johnny Luxo tocou.

Balada weekend! Balada GLS para sexta, sábado e domingo.

Loading