domingo, 18 de dezembro de 2011

Entrevista excluZiva com Rodrigo Sant´anna, o ator que interpreta Valéria Bandida

Loading

People! Sem dúvida, um dos destaque do humor nacional em 2011 é a personagem Valéria Vazquez e sua amiga Janete. Valéria é um transexual operado e Janete uma amiga carente, bonita por natureza (só que ao contrário) e um pouco lenta em relação ao rítimo frenético de sua amiga Valéria que já foi Valdemar. Juntas, elas levam verdadeiro humor para o programa Zorra Total, exibido pela Rede Globo.

O sucesso do bordão da personagen trans “Ai! Como eu tô bandida” é uma prova do alcance popular do programa. Desta forma, a passagem nesse domingo por Belo Horizonte do ator Rodrigo Sant´anna, que interpreta Valéria, pode ser motivo de comemoração (saiba mais abaixo). Desta vez, Thalita Carauta, que interpreta Janete, não se apresentará na cidade. Na semana em que se apresenta em Belo Horizonte pela primeira vez (“fui uma vez a passeio, mas foi super rápido”), Rodrigo Sant´anna falou com excluZividade ao Muza sobre a relação com público após o sucesso da Bandida, da composição do personagem e sobre o que se pode esperar de seu espetáculo.

É óbvio, ou ao menos previsível, que quem for ao espetáculo do Rodrigo Sant´anna hoje, domingo, 18 de dezembro, terá como principal expectativa vê-lo como Valéria Vazsquez. Mas o espetáculo traz também outros seis personagens. “As pessoas podem esperar supresas bacanas”, adiantou o ator.

Rodrigo revela que a realidade que inspirou a cricação de Valéria é o subúrbio: “vem muito dessa realidade. É um transexual que vem do subúrbio, da realidade mais humilde”. Mas, obvimamente, não se limita a isso. “A gente conversa com muita gente, tem contato com muitos tipos de pessoas. A gente começa a conectar a nossa observação com determinados gêneros, independente de qual for”, ressaltou.

Curiosamente, não é Rodrigo quem escreve os textos. Eles são escritos pela redação do Zorra Total. Mas há espaço para improvisos nas gravações. “A gente tem uma margem muito bacana com o Sherman(Maurício Sherman, diretor), então, libera a gente para fazer muitas brincadeiras”. Brincadeiras essas, que resultou em um dos momentos mais engraçados dos quadros: Valéria cantando músicas de divas do mundo pop, como Beyoncé e Rihanna. “Eu que fiz. Eu acho isso muito gay, achei que ia ficar bem incorporado... Uma maneira de você fortificar essa persona que de fato gosta disso. Valéria se pudesse ter voz ativa, ela diria que seriam essas cantoras. Acho que faltou Madonna”, completou. Curiosamente, no episódio que foi ao ar ontem, pela primeira vez ele cantou Madonna, a música escolhida foi “Erotica”.

Apesar das diversas conexões com o mundo gay, a personagem Valéria não agradou ou se limitou aos LGBT. Tanto, que o ator disse que não percebeu uma relação especial com os gays por causa disso. “Eu nunca tive uma receptividade diferenciada com o público, as pessoas me abordam da mesma forma... eu fico feliz porque, por mais que a personagem tenha essa representação do gay, da transexual, eu acho que ela é um personagem que atingiu a família. Ele não ficou fragmentada, e essa era uma preocupação que eu tinha”, revelou o ator.

Infelizmente não há nenhuma novidade prevista em relação ao quadro Valéria & Janete. O ator também desmentiu ao Muza os boatos de que as duas teriam um programa somente delas na Globo. “Ultimamente não tem novidade não”, disse de forma categórica. Mas independente do que o futuro reserva, o ator estará hoje esperando o seu público com a certeza de humor, alegria e Valéria Vazsquez: “Estou muito feliz de poder apresentar em BH, espero que as pessoas recebam com a mesma alegria que eu estou”.

Serviço:"Comício Gargalhada!" com Rodrigo Sant´anna


Local: Teatro SESC PALLADIUM


Data: 18 de dezembro (domingo)


Horário: 18h (sessão extra) e 20h (ainda há ingressos para os dois)


Classificação: 14 anosValor de ingresso: R$60 / R$70 / R$80 reais (de acordo com a localidade da cadeira).


Pontos de Vendas de Ingressos: bilheteria do Teatro Sesc Palladium