terça-feira, 22 de novembro de 2011

ColunaZs – “As quase lendas LGBT”

Loading


Confesso que nunca tinha pensado muito a respeito, ou até mesmo dado atenção a elas. Inclusive em meus textos passados, o foco maior sempre foi nos homens gays. Não sei se há algum fato histórico envolvido (sintam-se livres para citá-lo, caso exista), mas nossas queridas lésbicas são praticamente ignoradas quando falamos em “mundo LGBT”. A luta delas é o motivo pelo qual o L se encontra no início da sigla, para mais a respeito consulte o Google.

A impressão que tenho é que se a mulher não for a “lésbica caminhoneira”, a imagem que vai passar é de brincar de beijar mulheres. O triste fato é que elas não são levadas a sério. Mesmo com toda a homofobia, ‘homen gay’ é algo que as pessoas veem como real, já as lésbicas são quase unicórnios, e lésbicas mais ‘femininas’ são os unicórnios com chifre de arco-íris. São tratadas como inexistentes, como lendas. Mulheres também se amam, também possuem desejos sexuais umas pelas outras. Lésbicas não aquelas mulheres que se beijam por diversão em filmes americanos. Não são as mulheres que se agarram pra excitar o homem que irá pra cama com as duas mais tarde. São as mulheres que não gostam de homens, elas gostam de mulheres.

Quando se fala LGBT, qual a primeira imagem que vem a sua cabeça? E a segunda? A terceira? Aposto que todas foram imagens envolvendo homens. E aposto que acertei em mais de 80% das pessoas que leram este texto.

A imagem masculina sempre ficou mais a frente do movimento, recebeu mais destaque. Talvez isso se deva a algum reflexo, distorcido, domachismo presente em nossa sociedade. Lésbicas sempre ficaram apagadas, as coadjuvantes que costumamos esquecer.

Pergunte-se o motivo de as ignorarmos. Duvido que você ache uma resposta digna.

Acho que já passou da hora delas serem levadas mais a sério. Nós lutamos por igualdade, então que comecemos com os próprios LGBTs.

*
Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The Bitch says: follow my ass!