quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Gays na Espanha se casam rápido com medo de eleição q pode acabar com o casamento gay no país

Loading


People! Os casais gays – e os homossexuais como um todo – da Espanha estão vivendo sob certa tensão. Isso, porque haverá novas eleições no país e tudo indica que o conservador do PP (Partido Popular) irá ganhar e ele promete que irá revogar a lei que permite o casamento homossexual na Espanha. Falta pouco mais de um mês para as eleições.

Nesse sentido, os casais homossexuais estão correndo, literalemente, para oficializar suas uniões através do casamento. Nas redes sociais há grupos divulgando mensagens como “Case já, que o PP vem aí”. Em províncias como Madri, Barcelona e Valência, houve um aumento de 40% em setembro, comparando com o mês anterior, nos pedidos de documentos para casar homossexuais.

Na cidade de Juan, sul do país, há uma campanha chamada “casamento expresso”, na qual o socialista José Antonio Rodríguez lançou-a no twitter com os seguintes dizeres: “Se conhecem algum casal gay que queira se casar antes de 20 de novembro e tenha dificuldades, eu resolvo". Resultado? O prefeito disse que os pedidos de documentos para casar na região dele se multiplicaram por sete nos últimos dias.

Militantes LGBT da Espanha se manifestaram à BBC Brasil sobre o assunto:

"Há muita inquietação porque não sabemos o que vai acontecer. É até compreensível que tanta gente acelere os trâmites antes das eleições temendo a chegada do PP" - José de Lamo, coordenador da associação Lambda, que defende direitos de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais de Valência.

"Ficamos numa situação de limbo legal - Agustín López, presidente do Cogam (Coletivo de Lésbicas, Gays, Homossexuais e Bissexuais de Madri).

Antifamília (?!)

Alguns dos opositores ao casamento gay na Espanha, além do PP, são a Igreja Católica e organizações de direita como o Fórum Espanhol da Família. Até mesmo a Rainha Sofia se disse contra em sua biografia. "Nosso objetivo é o de colocar um ponto final no ciclo de políticas antifamília vividas nos últimos anos na Espanha", explicou o presidente do Fórum, Benigno Blanco, à BBC Brasil.

Fonte: Folha.com