terça-feira, 25 de outubro de 2011

ColunaZs – “Suicídio/Bullying”

Loading


Quantas vezes vocês já escutaram essa palavra na mesma frase que bullying e homossexual? E elas não estão diminuído. Nós escutamos só parte das notícias, e estas são só parte dos acontecimentos. Mais vida do que imaginamos são perdidas por simples preconceito.

Muitas pessoas tem uma visão simplista do bullying, como sendo apenas as piadinhas e brincadeiras de mau gosto feitas na escola. Mas isso pode ultrapassar limites físicos e mentais, as provocações ficam intensas e feitas todo o tempo, nem todos estão preparados para aguentar, ninguém deveria ter de aguentar.

Cada vez que leio, ou escuto, sobre alguém que perdeu a vida por causa dessas ‘brincadeiras’, meus olhos se enchem de lágrimas. Mais uma vida, mais uma pessoa, mais uma família. Mas ainda sim o discurso anti-bullying parece ser da boca pra fora: “Chega de bullying” e só. Chega de bullying? É tudo que você tem a dizer? E se fosse alguém que você ama que morresse graças ao bullying? As coisas acontecem lá, numa cidade americana que você nunca ouviu falar, mas também acontecem na escola de seus filhos.

Eu sofri bullying, talvez ainda tenha mais um pouco por esta vida. Fui forte, agora isso é passado. E quem não é forte os sufuciente? E quem sofre níveis absurdos de bullying? Muitas vezes uma conversa salva vidas, uma pequena demonstração de apoio, de carinho. Não espere a pessoa correr para seus braços pedindo por socorro, deixe-os abertos e ofereça abrigo. Ajude a conscientizar, mostre que são vidas. São vidas.

Não existe receita pra acabar com o bullying, nem para impedir um suicídio. Mas para que ambos aconteçam, devemos tomar consciência de sua gravidade.

*
Becha Má é twittera toda trabalhada no veneno purpurinado. The Bitch says: follow my ass!