sexta-feira, 22 de julho de 2011

Globo e SBT “baixam a bola” de personagens gays em suas novelas

Loading




People! Segundo reportagem da Folha.com e de supostos enredos de cenas que não foram ao ao ar, apesar do significativo avanço na abordagem homossexual e sobre homofobia na novela “Insensato Coração” – que vem sendo destaque aqui no Muza justamente por isso, a rede Globo e o SBT vão baixar a bola de seus personagens gays em suas novelas.

Segundo um ajudante de novelista da Globo, que não quis se identificar na matéria da Folha.com, recebeu um “aviso verbal” do autor da novela para não elaborar cenas gays ou dos personagens gays porque elas seriam cortadas. Ainda segundo matéria da própria folha.com e do site Mix Brasil algumas cenas – que inclusive chegaram a ser gravadas – foram cortadas. Por exemplo, uma cena do casal gay, Hugo e Eduardo, em um motel. E a tendência, é diminuir o destaque do casal na trama e “esfriar” a relação deles.

Ainda sobre a Globo, o autor Aguinaldo Silva, responsável pela novela que subistituirá Insensato Coração, foi orientado a não polemizar o “assunto gay” na novela Fina Estampa, mesmo com um personagem gay na trama.

Já o SBT, apesar de ter exibido primeiro beijo homossexual em uma novela esse ano – no caso, beijo lésbico, na novela “Amor & Revolução”, a emissora de Silvio Santos vetou a cena do beijo gay entre os personagens Jeová e Chico e, consequentemente, não exibir outro beijo lésbico entre as personagens das atrizes Luciana Vendramini e Giselle Tigre.

EM TEMPO 1: Foi divulgado essa semana no "Diário Oficial da União" uma nota sobre o Ministério da Justiça ter mantido a classificação indicativa de 12 anos para a novela “Insensato Coração”. Na nota, o Ministério elogiou as cenas torno da homofobia,: “conteúdos de natureza e de relevância social", "em especial pela valorização e respeito aos direitos homossexuais" e “cenas e diálogos em que se expõe a realidade social de perseguição, discriminação, preconceito e violência contra o segmento LGBT". #ChupaGlobo #ChupaSBT

EM TEMPO 2: A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais(ABGLT) e o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) lamentaram e criticaram a decisão da Rede Globo:

ABGLT: “a novela está cumprindo um papel importantíssimo como veículo informativo, servindo para desmistificar a homossexualidade perante a sociedade em geral, contribuindo para modificar as atitudes que fazem prevalecer a homofobia. Censurar neste momento parte do teor que já vinha sendo anunciado pela própria emissora mesmo antes da novela ir ao ar, nos parece um recuo que apenas serve para referendar a mensagem que a própria novela estava passando: a homofobia ainda está predominante em nossa sociedade.”

Jean Wyllys: “A imposição de censura aos autores da novela e a recusa em representar a diversidade da sociedade ferem a Constituição... A Globo explora uma concessão pública, logo, seus executivos terão de explicar à sociedade por que exigiram o fim da história gay da novela”

EM TEMPO 3: A rede Globo respondeu ao e-mail enviado pela ALGBT, que traz o trecho acima. Abaixo, alguns trechos da resposta:

“Entendemos que a causa dessa trama ficcional é a diversidade e o respeito às diferenças, e não propriamente a homossexualidade ou a heterossexualidade, ou quaisquer outras formas de orientação individual. A ciência - incluindo Freud - reconhece que a sexualidade, com suas variantes éticas e morais - é baseada na singularidade. Não cabe fazer campanha em torno de preferências individuais”.

“Nossas tramas registram a afetividade e o preconceito, mas não cabe exaltação. Cabe, sim, combater a intolerância, o preconceito e a discriminação, o que temos estimulado cotidianamente inclusive por meio de campanhas”.

Lamentável!Aguardemos! Pelo visto, não será desta vez que teremos um beijo gay em uma novela da Rede Globo...