terça-feira, 14 de junho de 2011

Ator Tracy Morgan causa polêmica com piadas gays em seu show

Loading


Quem me conhece ou já acessou esse blog sabe como eu amo “Saturday Night Live” há anos e “30 Rock” desde sempre. Hoje fiquei sabendo dessa e fiquei meio sem palavras. Vamos começar a história do começo…

O ator Tracy Morgan – que é Tracy Jordan na série de TV – também é comediante de stand-up e, em uma apresentação em Nashville, falou que “ameaçaria matar seu filho com uma faca se ele viesse falar alguma coisa com voz de gay”. Não existem imagens do acontecimento, apenas depoimentos das pessoas na plateia.

De acordo com elas, entre as coisas que ele disse estavam também chamar a homosexualidade de opção e dizer que ser gay é algo que as pessoas aprendem pela mídia – chegando a citar Lady Gaga. Ele também desdenhou as campanhasanti-bullying dizendo que os gays deviam parar de chorar.

Até o comediante Chris Rock, que é bem polêmico, ficou do outro lado da história. Disse que as falas de Tracy foram pesadas demais.

A atriz, produtora e roteirista Tina Fey, chefe de Tracy na série e na vida real, entrou na discussão numa mistura de defesa com puxão de orelha. “A imagem violenta do quadro de Tracy me deixou impressionada em uma época onde crimes de ódio continuam sendo uma ameaça à vida das pessoas da comunidade GLBT”ela disse para o TMZ.com. E ainda fez piada: “Isso não faz eco com Tracy Morgan, eu sei, ele não é um homem de ódio e geralmente está com sono ou sendo egoísta demais até mesmo para machucar os outros”.

Ela finalizou falando que o melhor seria o ator pedir desculpas públicas aos gays. Afinal, se não fossem eles, “Tracy não teria textos para decorar, roupas para vestir, cenários para pisar, atores para contracenar ao seu lado ou um cheque com seu salário no bolso”.

Os rumores que ele deixará a série ainda são precipitados, mas existem. Na web, já há uma irônica campanha no Facebook a favor da permanência dele no programa. O nome dela? “Não demita Tracy Morgan! Transforme o personagem dele em gay!”

Um dos chefões da emissora NBC, Bob Greenblatt, foi informado do incidente e disse que os comentários “são muitos ruins tanto para o programa quanto para o canal, duas organizações totalmente abertas e inclusivas”. “Nós deixamos claro para ele que este tipo de comportamento não será tolerado”

Ele, claro, pediu desculpas depois:

“Eu quero pedir desculpas a todos os meus fãs e à comunidade lésbica e gay pela minha escolha de tema em um quadro recente de stand-up em Nashville. Não sou uma pessoa de ódio e não comungo com nenhum tipo de violência contra os outros. Enquanto sou um piadista oportunista igualitário, e meus amigos sabem o que há no meu coração, mesmo para um clube de comédia eu claramente fui longe demais e não fui engraçado em nenhum contexto”.

É muito delicado perceber, mas existem sim piadas politicamente incorretas que são boas. Sinceramente, quando comecei a ler sobre o assunto achei que era mais um caso de patrulhamento gay exagerado, mas esse claramente não foi um desses. Morgan realmente pegou pesado e ofendeu gente que não quis/devia. Muito decepcionante para mim, por exemplo, fã dele desde “SNL”. O alto nível de humor de “30 Rock” como um todo sustenta a minha vontade de continuar acompanhando os episódios – não vou boicotá-lo por causa desse história – mas essa sensação ruim sobre o cara vai demorar um pouco pra passar…

* Texto de Gabriel Cadete originalmente publicado no blog Oi Tudo em Cima?. Gabriel é colunista do Muza, onde geralmente fala sobre moda.