segunda-feira, 24 de julho de 2017

Casal não aceita ser atendido por garçonete lésbica em bar de BH

Loading


Para quem acha que a homofobia é algo distante e não afeta a vida pessoal e profissional dos homossexuais... aconteceu na última sexta-feira um caso lamentável que mostra como existe LGBTfobia SIM e que afeta SIM a vida pessoal e profissional dos LGBT.

Na última sexta-feira,  21 de julho, um casal que estava no bar Chopp da Fábrica, bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte, “pediu” para não serem atendidos mais por uma garçonete “sapatão”. O caso ganhou notoriedade após uma internauta, cliente do bar no momento, postar o relato e vídeo do ocorrido. Alguns dos clientes se manifestaram contra a atitude do casal, que foram embora do local após saberem que a Polícia havia sido acionada. 

Abaixo você pode ler o relato na íntegra feita pela internauta e, na sequencia, um comentário feito pelo proprietário do Chopp da Fábrica,  somente no post da internauta.

Post Internauta

Textão:
Sexta-feira, semana intensa, fim dos jobs, reune os migos. Vom prum bar.
Pá. Fomos nós, Chopp da Fábrica. Era a opção perto de onde estamos fazendo um festival, inclusive ele se chama Verbo Gentileza.
Cerveja vai, cerveja vem, boas risadas. Bom atendimento, até que pá! Garçonete vem com os olhos cheio d'água, dizendo que não atenderia mais a gente, pq pediram pra trocar ela.
- Como assim? Pediram quem? 
- ah, o casal ao lado.
- mas pq?
- ele disse que não queria ser atendida por uma sapatão. 
- WHAAAAT- 2017!
Sim, ela era lésbica e ele não queria ser atendido por ela.
CHAMA O GERENTE!!! 
Vem ele...tenta amenizar, diz q não concorda, mas que não pode fazer nada e tal...
Na mesa ja ta todo mundo inconformado.
A GENTE QUER QUE ELA CONTINUE NOS ATENDENDO!!
Ok, ela segue atendendo....segue o baile.
Não, não, não. Para o baile todo! 
Como assim? Isso é crime. Não da pra fingir que está tudo bem.
Notamos que todas as mesas em volta também se incomodaram com a atitude.
Pronto, decidimos! Vamos lá falar com ele.
Na primeira fala, ele grita: aaah, sapatão! ( para uma amiga, heterossexual por sinal) sai daqui.
O que fizemos? UM ESCÂNDALO.
Não dava pra ir embora entubando aquela cena.
O homofobico não negou a homofobia, tentou partir para agressão. O bar? Recebeu a conta dele e ainda tentava ajudar o criminoso sair da cena.
O gerente e segurança o tempo inteiro preocupado com tumulto no bar. OMISSOS!
Chamamos a polícia, que não chegou há tempo. Né? Mais um crime impune. Durmo tranquila sabendo que to rodeada de gente foda, que não põe galho dentro, e que no mínimo conseguimos retirar o criminoso do bar, e foi retirado no grito e na raça!
e digo só uma coisa:
HOMOFOBICOS NÃO PASSARÃO.
Se você frequenta o Chopp da Fábrica, apenas pare.
Habemus vídeo do caso.

Comentário Chopp da Fábrica

Bom dia a todos! Meu nome é Bruno e sou proprietário do Chopp da Fábrica. Estou profundamente chateado por um episódio desse ter ocorrido dentro do Chopp, na realidade, por um episódio desse ainda existir nos dias de hoje. Somos uma empresa séria e responsável. Não temos princípios homofóbicos e tratamos todas as pessoas da mesma forma, consideramos que somos todos iguais, independente de sua orientação sexual, religiosa ou qualquer que seja. Tal fato que não somos homofóbicos, que em nosso quadro de funcionários, quase 90, temos diversos que são declaradamente homossexuais e isso não impede, nao interfere e não faz a menor diferença no momento da contratação. Como disse, a orientação é pessoal e não cabe a empresa julgar! Assim como eu, tenho certeza que toda nossa equipe achou absurdo a atitude homofóbica desse cliente. Não fomos omissos nem apoiamos a homofibia praticada. A opção de mudar de área de atendimento foi exclusiva da garçonete agredida, assim como a opção de não prestar queixa. Eu e toda a equipe do Chopp da Fabrica se encontram a disposição para qualquer esclarecimento! Um bom final de semana a todos e que as pessoas se conscientizem que o respeito ao próximo é fundamental para uma sociedade evoluida!





Conheça a programação da última semana da 4ª Jornada pela Cidadania LGBT de BH

Loading

O Muza já avisou vocês que está acontecendo em Belo Horizonte, durante todo o mês de julho a 4ª Jornada pela Cidadania LGBT de Belo Horizonte. A atividade de maior destaque é a 20ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte no dia 16 de julho, organizada pelo Cellos MG. Abaixo, você pode conferir na íntegra a programação desta semana.

Programação (de 24/7 a 30/7)

Dia 24 de julho, segunda-feira, às 19h
Mesa: Violência e Violações em Direitos Humanos contra LGBT
Local: Casa dos Direitos Humanos
Endereço: Av. Amazonas, 558 - Centro (Praça Sete)

Descrição: debate sobre violência e violação em direitos humanos a partir do trabalho que vem sendo desenvolvido de Rede de Combate à Violência motivados por questões de identidade de gênero e orientação sexual em Minas Gerais.
Mesa: Thiago Costa (CONEDH); CR-LGBT; Flávio Ribeiro (CEPEF); Elizabeth (NAC - LGBT)

Dia 25 de julho, terça-feira, às 09h
Oficina: Multiverso: Diversidade Sexual e de Gênero nos Quadrinhos
Local: Centro Cultural Urucuia
Endereço: R. W-3, 500, Urucuia

Descrição: Bate papo sobre quadrinhos e diversidade sexual e de gênero. Como a cultura pop e o mundo geek tem lidado com a crescente visibilidade de pessoas e personagens LGBT. A jornada do herói e sua significação contemporânea como jornada de autoconhecimento, a consequente saída do armário de heróis e a importância disso para a representatividade.
Mesa: Darlan Carling, Rafael Ernesto.

Dia 25 de julho, terça-feira, às 19h
Cine Diversidade – “Família no Papel”
Local: MIS Cine Santa Tereza
Endereço: Rua Estrela do Sul, 89 – Santa Teresa

Descrição: Exibição do filme “Família no Papel” (Fernanda Friedrich e Bruna Wagner | Brasil | 2011 | 52 min) e comentários após a sessão.
Mesa: Rodolfo Leal (Mediador)

Dia 26 de julho, quarta-feira, 9 às 16h
Mutirão: Retificação de Nome
Local: Defensoria Pública de Minas Gerais
Endereço: Rua Guajajaras, 1707 - Barro Preto

Descrição: Mutirão de retificação de nome para pessoas trans, realizado pela Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) em parceria com o Conselho Regional de Psicologia (CRP). Atividade ao longo de todo o dia (9-16h). ATENÇÃO: as pessoas trans precisam juntar documentos específicos para o processo; acompanhe pelo site e também na tenda da DPMG e do CRP no dia da Parada, onde terão os encaminhamentos necessários.
Realização: DPMG, Defensor Dr. Vladimir Rodrigues; CRP, Dalcira Ferrão.
PARA SABER A DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA, CONSULTE NOSSO SITE: www.cellosmg.org.br

Dia 27 de julho, quinta-feira, às 14h30
Essa oficina é Gay - com Érica Lima e Raquel Fernandes
Local: Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte - CRJ - Centro de Referência da Juventude
Endereço: Rua Guaicurus 112, Centro

Descrição: A oficina nos propõe pensar o caráter ético, estético, performativo e político das palavras,enquanto percorre a história dos termos,siglas e nomenclaturas destinados a promover e reconhecer a diversidade das culturas, sujeitos, afetos, identidades e práticas para além da heteronormatividade.
Mesa: Érica Lima, Raquel Fernandes

Dia 27 de julho, quinta-feira, às 19h
Partilha de uma vivência: "Oficina Trans Teatro"
Local: MuMo - Museu da Moda
Endereço: Rua da Bahia, 1149, Centro

Descrição: Apresentação de intervenção cênica com participantes da Oficina Trans Teatro, realizada no primeiro semestre de 2017, com coordenação do ator e diretor Odilon Esteves e do jornalista Lucas Ávila, com apoio do Transvest e do BDMG. Após a apresentação haverá relato da vivência na oficina e discussão aberta ao público.
Mesa: Odilon Esteves, Estudantes trans que participaram da oficina.

Dia 28 de julho, sexta-feira, 14h
Assistência Social e população e LGBT
Local: BDMG
Endereço: Rua da Bahia, 1600 - Lourdes (entrada pela Rua Bernardo Guimarães)

Descrição: Debater a importância da Assistência Social para a população LGBT, os contextos de vulnerabilidade e as formas de atendimento com os trabalhadores, usuários e gestores do SUAS - Sistema Único de Assistência Social.
Mediador: Bruno Alves.

Dia 29 de julho, sábado, às 9h às 18h
II Educação e Diversidade - Debate com profissionais da educação sobre inclusão
Local: Sinpro Floresta
Endereço: Rua Jaime Gomes, 198 - Floresta; Esquina Av. Silviano Brandão

Descrição: Debate com profissionais da Educação sobre inclusão, famílias, jovens e familiares, evasão escolar.
Mesa 1 (manhã): Álvaro Boechat Chiarello, Gilson Reis, Paulo Lamac, SEE, SME, Arnaldo Godoy, Representante dos Sindicatos.
Mesa 2 (tarde): Lucas Magalhães, Analise da Silva, Roberto Reis, Thiago Santos, Danilo Sabbagh
Mesa 3 (tarde): Munish, sindicatos

Dia 30 de julho, domingo, às 18h
Famílias, Espiritualidades e Direitos
Local: Igreja da Comunidade Metropolitana - BH
Endereço: Rua Domingos Vieira, 587 - 3º Andar - Santa Efigênia

Descrição: Refletir sobre a influência da religião no conceito de famíliaS, tendo em vista os aspectos do seu discurso em relação à sexualidade e as identidades de gênero. Será que a família como núcleo patriarcal, hierarquizada, compulsoriamente heterossexual e formada unicamente pelo casamento representa a versatilidade e pluralidade inerentes ao corpo social da modernidade? Direitos para novas configurações familiares, como a homoafetiva, tem sido uma preocupação presente nos discursos políticos?
Mesa: Gilberth Santos, Sandro Aurélio, José Barbosa, Rosane Pires.

domingo, 23 de julho de 2017

Atendo a pedidos: + 24 fotos inspiradoras da Parada do Orgulho LGBT de BH

Loading



Há exatamente uma semana, último domingo 16 de julho, o Muza esteve mais uma vez presente e com muito orgulho na 20ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte, organizada pelo Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual (Cellos MG). Este ano aconteceu vários momentos marcantes, que você pode saber quais foram clicando aqui. Mas como em muitos casos, imagens valem mais que palavras, então... 

... o Muza mostra aqui + 24 fotos inspiradoras da Parada do Orgulho LGBT 2017 (feitas pela querida e talentosa fotógrafa Catarina Paulino), que refletem a diversidade e alguns dos principais momentos desse evento que existe há 20 anos em nossa cidade e celebra a diversidade, o respeito, a dignidade e o amor! 

Não viu as outras 24 fotos inspiradoras da Parada do Orgulho LGBT de BH 2017? clique aqui e veja!

Em breve também divulgaremos essas fotos e muito mais em nossa página no Facebook e Instagram


A drag queen Kayete, uma das mais famosas e queridas em BH, mandando um beijo excluZivo para o Muza

O prefeito Alexandre Kalil, ao lado da companheira Ana Laender, que pediu uma bandeira símbolo do movimento LGBT para entrar com ela nos ombros e assim fez.

A drag queen Nayla Brizard, outra drag super querida e famosa em BH.

Momento Vrá em frente a um dos pontos turísticos de BH: a praça da Estação.
  
Momento selfie na Parada: quem nunca?

Um close, é um close. Tá meu bem?

Uma das performances que encantou e agradou o público presente.

Ninguém consegue nada sozinho nessa vida! 

É para dar mais close? Então toma close!

Choque de monstros: encontro de drag queens caracterizadas de Mulher Maravilha e Gretche (Swich Swich Katy Perry)

A drag quee Perfect sempre chama a atenção pelo seus look Perfeitos!

Mais uma drag queen que ahazou no look!

A drag queen Sáfira Dandeléon que estava deslumbrante com seu visual!

Que tiro de beleza é essa drag queen?!

Combo: Drag queen em momentos Vrá e Close, mas desta vez, em cima do trio elétrico.

As cores do arco-íris sempre se destacam (e com orgulho)

Militância LGBT: presente, necessária e atuante!

E esse tiro de beleza no meio da multidão? Não passou despercebido por nós! 

O Bloco Queixinho também esteve presente na Parada.

O Grupo Mães Pela Diversidade durante discurso emocionante: "elas também saíram do armário"

Sim! A Parada LGBT é um momento político (de várias maneiras).

A equipe do Muza na Parada: Valmique Júnior (jornalista) e Catarina Paulino (Fotógrafa)

Dois ícones juntos: a Praça 7 em Belo Horizonte e a bandeira do arco-íris símbolo do movimento LGBT mundial!


sexta-feira, 21 de julho de 2017

Johnny Hooker lança música poderosa em parceria com Liniker

Loading

O cantores Johnny Hooker  e Liniker estão juntos em um dueto Ma-ra-vi-lhoso, na música: “Flutua”, que é o primeiro single do novo álbum de inéditas de Johnny Hooker "Coração", que é apresentado pela Natura Musical e pelo Ministério da Cultura.

Além dos dois cantando junto por si só, que é lindo, a música tem uma letra forte e fala justamente sobre a dificuldade de amar em tempos difíceis, onde o preconceito sobre o amor ainda existe( com direito a frase "Amar sem temer"). Isso mesmo! Abaixo você pode ouvir a música na íntegra e sua bela e forte letra também:




Flutua

O que vão dizer de nós?
Seus pais, Deus e coisas tais
Quando ouvirem rumores do nosso amor
Baby, eu já cansei de me esconder
De olhares, sussurros com você
Somos dois homens e nada mais

Eles não vão vencer
Nada há de ser em vão
Antes dessa noite acabar
Dance comigo a nossa canção

E flutua, flutua
Ninguém vai poder, querer nos dizer como amar
E flutua, flutua
Ninguém vai poder, querer nos dizer como amar

Entre conversas soltas pelo chão
Teu corpo teso, duro, são
E teu cheiro que ainda ficou na minha mão

Um novo tempo há de vencer
Pra que a gente possa florescer
E, baby, amar, amar sem temer

Eles não vão vencer
Baby, nada a dizer em vão
Antes dessa noite acabar
Baby, escute, é a nossa canção

E flutua, flutua
Ninguém vai poder, querer nos dizer como amar...

Como amar
Como amar
Ninguém vai poder, querer nos dizer como amar

Neste sábado acontece Projeto Fashion 2017 – Edição Concurso de Modelos

Loading

No próximo sábado, 22 de agosto, acontece mais uma edição do Projeto Fashion 2017, desta vez é a edição “Concurso de Modelos”, promovido pela agência Wired MGT de Belo Horizonte.  

“Moda, Música, Estilo, Cultura e Arte, tudo isso você presenciará na 3ª edição do Projeto Fashion dia 22/Julho na Savassi. Um dos maiores eventos de modelos de BH! Em formato de evento de moda com música eletrônica em clima intimista e descontraído em que os convidados interagem com um ambiente fashionista com glamour”.

➤ Grifes Participantes:
- Vanessa Buterfly ( RJ ) [www.facebook.com/VanessaModaButterfly]
- Fly (BH) [Instagram.com/sitymodelsbrazil]

➤ Music By:
🎵 André Araújo (soundcloud.com/andrearaujodj)
🎵 André Baeta (soundcloud.com/andrebaeta)
🎵 Diego Ramal (soundcloud.com/diegoramal)

Serviço 
Projeto Fashion 2017 –  Edição Concurso de Modelos
Data: 22 de agosto
Horário: 17h-21h
Local: Rua Tomé de Souza, 1145, Savassi
Convites Antecipado: R$20,00 - Camarote: R$35,00 - Portaria a confirmar.
Informacões: (31) 4112-0108

Apoio:
Eva - Clinica de Estetica
Make Holic - Academia de Maquiagem
Minds - English School
Tauá Resorts Caeté

quinta-feira, 20 de julho de 2017

24 fotos inspiradoras da Parada do Orgulho LGBT de BH 2017

Loading

O Muza esteve mais uma vez presente e com muito orgulho na 20ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte, organizada pelo Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual (Cellos MG), que aconteceu no último domingo, 16 de julho. Este ano aconteceu vários momentos marcantes, que você pode saber quais foram clicando aqui. Mas como em muitos casos, imagens valem mais que palavras, então... 

... o Muza mostra aqui 24 fotos inspiradoras da Parada do Orgulho LGBT 2017 (feitas pela querida e talentosa fotógrafa Catarina Paulino), que refletem a diversidade e alguns dos principais momentos desse evento que existe há 20 anos em nossa cidade e celebra a diversidade, o respeito, a dignidade e o amor! 

Em breve também divulgaremos essas fotos e muito mais em nossa página no Facebook e Instagram

O prefeito Alexandre Kalil, durante discurso, ao lado da companheira Ana Laender, que pediu uma bandeira símbolo do movimento LGBT para entrar com ela nos ombros e assim fez.

Leandrinha DuArt e o cantor Flávio Renegado

Protesto de homens e mulheres Transexuais

Bailarinos apresentando e ahazando na dança e coreografia.


Momento Swich Swich: Drag Green encarnou a Gretchen na música da Katy Perry.
Momento Vrá: porque um close é um close!




As vereadoras de BH: Cida Falabella e Áurea Carolina.




A personalidade artística e política da cidade: Ed Marte

Teve Drag queem como Mulher-Maravilha sim! 

A drag queen Sáfira Dandélion

A drag queen e DJ: Isabelle Gee


Mais uma drag queen ahazando!

A drag queen Wandera Jones agradecendo: nós que agradecemos!


O Grupo Mães Pela Diversidade.: porque mãe que é mãe também sente orgulho!

Diretoria do Cellos MG (Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual - que é responsável por organizar a Parada de BH): Bruno Alves, Azilton Viana e Anyky Lima.

Representatividade Trans: Keila Simpson (Presidente Nacional da a ANTRA - Associação Nacional de Travestis e Transexuais), Pâmela Volp (vereadora em Uberlândia) e Anyky Lima (vice-presidente do Cellos MG).

Jornalistas pela Diversidade: Paulo Proença (Rádio Inconfidência e Motif), Gil Sotero, Roberto Reis (UNA e Una-se Contra a Homofobia) e Valmique Júnior (Muza)  



Presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT): Carlos Magno. 

Praça da Estação em Belo Horizonte lotada e política!

O que queremos? Dignidade!

A drag queen Penélope Fontana: ahazando como sempre!

Ao fundo, com maio da Beyoncé, a diva Cristal Lopez, na frente, a drag queen Charlotte Lorem-Ipsum, no trio elétrico conseguido por meio de financiamento coletivo, envolvendo a Frente Autônoma LGBT, o coletivo Beijo No Seu Preconceito e os blocos de carnaval de BH Alô Abacaxi, Corte Devassa, Garotas Solteiras e Sapa Janga.

Clássico: a bandeira do orgulho LGBT na multidão e no coração de BH (avenida Amazonas, quase na Praça 7)